Home
Sobre o CIEPE
Associe-se
Associados
Programas
Empresas Parceiras
Ciepe Sustentável
CIEPE News
News
News 1
News 2
News 3
News 4
News 5
Cursos e Eventos
Contatos


Prazo para entrega do IR termina hoje à noite Postado em abr 30, 2013

Termina hoje o prazo para o envio da Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (DIRPF) referente ao exercício 2012. Quem deixou para o último dia terá que correr contra o relógio, mas também redobrar a atenção na hora de preencher as informações ao Fisco. Exatamente, às 23h59min59s, a Receita Federal do Brasil (RFB) em Pernambuco, esperacontabilizar cerca de 700 mil declarações. Até às 17h de ontem, 572 mil haviam sido emitidas, restando portanto menos de 20% do total previsto.

Não fazer o DIRPF pode causar muitas dores de cabeça para o contribuinte. A primeira delas é o pagamento de multa. O valor consiste em 1% do imposto devido para cada mês ou fração de mês atrasado, mais 20% do mesmo tributo ou o valor mínimo de R$ 165,74. Mesmo fora do prazo, é possível acertar as contas com o Leão. O presidente do Conselho Regional de Contabilidade de Pernambuco (CRC-PE), José Eraldo de Oliveira, aconselha que o contribuinte envie a declaração mesmo incompleta dentro do prazo, para corrigir depois.

“À pessoa que está em cima da hora e não conseguiu reunir toda a documentação, nós orientamos que faça a declaração dentro do prazo, para fazer as correções posteriormente, antes que caia na malha fina”, disse Oliveira. Outra dica é solicitar, no site da Receita, um código de acesso, que permite o acompanhamento da declaração depois de enviada. “Dessa forma, o contribuinte pode entrar a qualquer momento e fazer alguns tipos de alterações. Só não pode mudar coisas como a opção pela declaração completa ou simplificada”, explicou o presidente do CRC-PE.

 IRPJ

Na quinta-feira, começa o período de Declaração do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ). A prestação de contas das empresas deverá ser feita até o dia 28 de junho, por meio da internet. São contribuintes e, portanto, estão sujeitos ao pagamento do IRPJ, as pessoas jurídicas e as físicas a elas equiparadas, domiciliadas no País.

O IRPJ é cobrado com base no lucro, que pode ser real, presumido ou arbitrado. A alíquota é de 15% sobre o lucro apurado, com adicional de 10% sobre a parcela do lucro que exceder R$ 20 mil por mês. A alíquota do adicional é única para todas as pessoas jurídicas, inclusive instituições financeiras, sociedades seguradoras e assemelhadas. Além disso, o IRPJ pode ser aplicado a uma taxa de 6% nas empresas concessionárias de serviços públicos.